J.B.ROMANI

Eu colho as pedras do caminho como se fossem uvas e bebo a poeira como se fosse vinho.

Textos

TEMPORAL
Nuvens escuras se formam no céu,
fazem sombra sobre o cafezal,
pingos de chuva que caem no chão
e matam a sede do arrozal.
             Ei temporal... ei temporal,
             lavando o meu sertão.

Enxurrada que cai no riacho
e se infiltra pelo taboal,
lá no alto retumba o trovão,
vida nova para o milharal.
               Ei temporal... ei temporal,
               lavando o meu sertão.

No conforto da minha cabana,
ouço a chuva que cai no telhado,
eu abraço a minha companheira,
minha amada sorri ao meu lado.

Ei temporal...
chuva forte caindo lá fora,
ei temporal,
passarinhos no ninho agora.
J B ROMANI
Enviado por J B ROMANI em 23/12/2008
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (www.jbromani.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras