J.B.ROMANI

Eu colho as pedras do caminho como se fossem uvas e bebo a poeira como se fosse vinho.

Textos




O ASSASSINO





Não! Não! Não! Não!
Vocês não sabem de nada!
E eu já falei por aí...
Não foi a bruxa do pântano...
Nem o mago da caverna...
O dragão do abismo?!
Não! Não!    Ele não fez nada.
 
E você aí?
Que conde Drácula?
Ele não tem nada com isso.
 
Aquela velha na praça
que fica dizendo que foi o duende...
Ela não sabe de nada.
Não faz ideia do que está falando.
 
E eu vou falar de novo...
Quem matou o amor...
Foi o desespero.
 
O desespero de ganhar dinheiro...
o desespero de ficar famoso...
o desespero de fazer sucesso...
E tem mais...
O desespero, assassino do amor
é o mesmo que matou a bondade,
a ternura...           
E a poesia.

 
J B ROMANI
Enviado por J B ROMANI em 13/07/2017
Alterado em 14/07/2017
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (www.jbromani.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras