J.B.ROMANI

Eu colho as pedras do caminho como se fossem uvas e bebo a poeira como se fosse vinho.

Textos

PAPAGAIO DELATOR FOI EXECUTADO                                         

                                        ROMANI´S   NEWS
                       

                     Etna tsid meb atse edad reva





Policiais do Rio de Janeiro, mesmo acostumados com
a violência da Cidade Maravilhosa, ficaram
impressionados ao encontrarem o corpo do  papagaio
Néco numa viela de um dos morros da cidade.
Néco foi criado pela mãe do traficante Julião, mais
conhecido por Tribufú e desde cedo começou a
participar das ações da quadrilha, sendo de total
confiança do grupo.
Néco era olheiro, levava mensagens e fazia parada em
vários pontos da favela vendo o movimento e informando
Julião sobre a movimentação no morro.
Sua morte foi uma vingança de alguns membros da
quadrilha que fugiram do cerco policial que prendeu
Julião na semana passada.
Conta-se que uma noite antes da invasão policial, Néco
passou a noite num baile funk e dormiu em sua hora de
vigia sem perceber a ação policial e muito pior...
Quando acordou assustado com a movimentação e
pressionado pela polícia que não estava prá brincadeira
Néco que era verde, amarelou e entregou o esconderijo
de Julião.
Pensou que estava tudo bem... E que ainda levaria
alguma vantagem pela colaboração, mas não percebeu
que havia sido visto traindo seus amigos. e o fato  vazou.
Néco por ter colaborado não foi preso, ficou alí pela
favela.
Mas ao ser chamada para recolher um cadáver,  o que a
policia encontrou de longe lembrava Néco, um papagaio
verde, gordo e bonitão.
Sua cabeça estava longe do corpo, o corpo parecia uma
peneira de tantos furos de balas de vários calibres, as
asas estavam quebradas e as pernas desaparecidas.
Nem todo o bando de Julião foi preso, os que ficaram
fizeram o seu trabalho.
Dois dias depois dessa ocorrência, crianças da favela
que brincavam num terreno baldio, acharam as pernas
de Néco amarradas no galho de um pé de ipê.

J B ROMANI
Enviado por J B ROMANI em 12/02/2009
Alterado em 17/02/2009


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras