J.B.ROMANI

Eu colho as pedras do caminho como se fossem uvas e bebo a poeira como se fosse vinho.

Textos

HISTÓRIA DE ASSOMBRAÇÃO






Fui na casa de uns amigos,
a conversa estava animada,
quando eu pensei em ir embora,
já era de madrugada.
 
E agora o que fazer?
Fiquei meio preocupado,
pois eu tinha que passar perto
do castelo assombrado.
 
 
O que é isso companheiro?
Sou um homem de coragem...
E essa coisa de fantasmas
prá mim é tudo bobagem.
 
E saí pelo caminho
estava bastante frio,
quando estava perto do castelo
senti um certo arrepio.



Ali existe um cemitério
que está abandonado,
quando vi o esqueleto,
ele já estava ao meu lado.
 
 
Bem... Era só um esqueleto,
eu controlei o meu medo,
então pousou no meu ombro
um tenebroso morcego.
 

E ficou me olhando com a cara
de quem não tem o que fazer,
acho que ele pensou:  Esse cara
vai desandar a correr.

 

Chegou também um fantasma,
pensei... Não é minha noite de sorte,
dei uma olhada para trás,
olha só se não é a morte.
 

E aí foram me seguindo
numa conversa animada,
quando o fantasma falou:
Ei... Quem sabe contar piada?
 
O esqueleto contou uma boa,
o fantasma uma muito engraçada,
agora a que a morte contou
quase morri de gargalhada.
 
Era sobre as pessoas
que vivem com medo dela,
quando elas menos esperam,
ela chega... E aí já era.

 

 
 
 
 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
J B ROMANI
Enviado por J B ROMANI em 06/09/2009
Alterado em 26/08/2016


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras