J.B.ROMANI

Eu colho as pedras do caminho como se fossem uvas e bebo a poeira como se fosse vinho.

Textos



A   CIGANA





A Cigana se aproximou com seu vestido colorido,
olhei por olhar, e pensei: Vida sem sentido,
talvez por inveja de sua liberdade,
seu caminhar suave ou outro motivo.

 
Mas o fato claro do momento, o desinteresse meu
pela sua presença, seu olhar pretencioso de dizer,
em poucas palavras e de um jeito seguro,
o meu passado e o meu futuro.

 
Foi feliz, teve amigos, sonhou, viveu,
tempos difíceis, invejas, ganhou e perdeu,
o passado de todos é muito parecido,
o passado é livro que já foi lido.

 
Com o meu ar superior, eu brinquei;
você pode ler a minha mão?
E ela me disse:  Sim... Ou Não.
Você sabe que é ilusão.

 
E sabe melhor que eu o que a vida escreveu,
suas culpas, seus fracassos, seus temores,
porque eu devo lhe dizer, o que você
está cansado de saber.

 
Sorri, um sorriso amarelado, sem graça,
ela pegou a minha mão e com tristeza me olhou,
o que de bom estava escrito aqui...
A sua descrença apagou.
 
J B ROMANI
Enviado por J B ROMANI em 07/05/2020
Alterado em 16/05/2020


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras